Gestão Social

Colaboradores

A valorização das pessoas, além de propiciar um ambiente de trabalho saudável, se reflete no bom desempenho dos negócios da Portonave. Ao fim de 2016, a Companhia somava 1.073 colaboradores efetivos, além de 148 trabalhadores terceirizados. Em 2016, apesar da recessão econômica vivenciada pelo Brasil, a Portonave se empenhou na manutenção dos empregos gerados, de modo que a leve queda apresentada no número de postos de trabalho da Companhia (-1,5% em relação a 2015) se manteve abaixo do índice relativo ao município de Navegantes (-2,21%)[1].
[GRI G4-10]

 

[GRI G4-10]

Diversidade

A Portonave busca garantir igualdade de oportunidades aos colaboradores, independentemente de gênero, faixa etária, etnia ou credo – características não consideradas tanto nos processos seletivos quanto na determinação da remuneração dos profissionais. Para isso, mantém políticas e práticas de valorização da diversidade.

Ao final de 2016, os homens representavam 84% dos colaboradores da Portonave alocados, principalmente, em funções operacionais do Terminal. Na área administrativa, a distribuição era mais equilibrada, com 42,36% de mulheres e 57,64% de homens.
[GRI G4-LA12]

 

A classificação dos colaboradores de acordo com a etnia se dá por autodeclaração. Em 2016, 212 profissionais se declaravam negros, pardos, amarelos ou indígenas, o que correspondia a 19,7% do total. Essa composição reflete o perfil demográfico de Santa Catarina, estado que, segundo o último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, apresentava 84% de população branca.

Remuneração e benefícios

A Portonave revisa constantemente o plano de remuneração de seus colaboradores – uma ação que contribui para a retenção de talentos. Todos os profissionais, independentemente da extensão da jornada de trabalho, contam com um amplo pacote de benefícios, que extrapolam os garantidos pela legislação, tais como auxílio-creche, vale-transporte e licença-paternidade/maternidade.
[GRI G4-LA2]

 

A Portonave aderiu voluntariamente à licença-maternidade estendida, de 180 dias. Das colaboradoras que tiveram filhos, 98% retornaram ao trabalho após o término do afastamento. Cerca de 75% dos homens e 94% das mulheres permaneceram na Companhia nos 12 meses que sucederam o retorno das licenças paternidade e maternidade. [GRI G4-LA3]

Direitos assegurados

As diretrizes da Declaração Universal dos Direitos do Homem e da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) são respeitadas pela Política de Recursos Humanos da Portonave. O documento assegura os direitos à liberdade sindical, à negociação coletiva e à representação interna dos colaboradores, que são, em sua totalidade, cobertos por acordos coletivos de trabalho. As negociações com os sindicatos são iniciadas no mês de dezembro de cada ano e concluídas no mês seguinte, janeiro, coincidindo com a data-base da maior parte das categorias.
[GRI G4-11]

Em 2016 foi dada continuidade ao Programa Saúde em Equilíbrio, desenvolvido em parceria com o SESI e iniciado no ano anterior. A iniciativa abrange ações relacionadas a saúde física – como controle de peso, promoção de atividades físicas e ginástica laboral – e saúde mental, que inclui apoio e aconselhamento psicológico, assim como gerenciamento de estresse.

Entre os destaques do Programa está o grupo de emagrecimento saudável, que atendeu três turmas ao longo do ano, beneficiando cerca de 60 colaboradores. Após passarem por avaliação médica e física, os participantes recebem orientações de uma equipe multidisciplinar, composta por nutricionistas, psicólogos e educadores físicos, com foco em reeducação alimentar, saúde emocional e combate ao sedentarismo.

O Programa também contempla uma equipe de caminhadas e corridas, que em 2016 era formada por 55 colaboradores. Já o serviço de apoio e aconselhamento psicológico atendeu, desde o início das atividades, em 2015, 29 colaboradores. Ao todo, 33 gestores foram avaliados no âmbito do programa de gerenciamento de estresse, dos quais nove passaram a participar de oficinas e atividades terapêuticas voltadas à redução de riscos e sintomas relacionados.

Pelos resultados obtidos no Programa, a Portonave recebeu o Prêmio Ser Humano 2016, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH – Seccional SC). 

Em complemento às ações preventivas, a Companhia realizou campanhas de conscientização quanto ao câncer de mama e também ao câncer de próstata, acompanhando as mobilizações nacionais Outubro Rosa e Novembro Azul. Além disso, a Companhia promoveu a Semana da Saúde, com atividades relacionadas ao bem-estar dos colaboradores.

A Portonave mantém, ainda, um ambulatório onde são realizados exames admissionais, demissionais, periódicos e de retorno às atividades, além de consultas com um médico do trabalho.

* O número de lesões corresponde ao número de pessoas lesionadas no período.

Segurança do trabalho

A Portonave busca o alinhamento à norma OHSAS 18001, focada na qualidade do Sistema de Gestão em Saúde e Segurança Ocupacional, para aperfeiçoar processos e práticas em segurança do trabalho. As instalações são monitoradas constantemente e os colaboradores recebem, além de treinamentos específicos sobre o tema, os equipamentos de proteção individual (EPIs) e de proteção coletiva (EPCs) necessários à realização de suas atividades.

A Política do Sistema de Gestão Integrado (SGI) prevê o fornecimento desses equipamentos e cumpre o atendimento legal (NR 06 - Equipamentos de Proteção Individual), conforme estabelecido nos acordos coletivos firmados com sindicatos profissionais. Além disso, uma Brigada de Emergência, com 60 colaboradores treinados mensalmente, está presente nas instalações da empresa.

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) atua na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais e é composta por seis membros efetivos e seis suplentes, representando diversas áreas operacionais e administrativas. A CIPA tem entre suas atribuições a organização da Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). 
[GRI G4-LA5]

Em 2016, foi realizada entre os dias 12 e 16 de setembro, oferecendo aos colaboradores diversas palestras sobre temas relativos à saúde e segurança ocupacional. O resultado desse trabalho preventivo se reflete no cotidiano da Companhia. Em 2016, não foram registrados óbitos relacionados às atividades laborais nem notificações de doenças ocupacionais.
[GRI G4-LA6]

 

Treinamentos

Oportunizar o desenvolvimento profissional de seus colaboradores está entre os principais compromissos da Portonave. Em 2016, somadas todas as atividades de capacitação oferecidas, a Companhia realizou 50.415 horas de treinamento, carga 3,92% inferior à registrada em 2015. 
[GRI G4-LA9]

Para incentivar a evolução dos profissionais, o Programa de Educação Continuada da Portonave oferece subsídios de até 50% das mensalidades de cursos técnicos, de graduação, de pós-graduação ou de idiomas. Em 2016 foram concedidos R$ 738,3 mil em bolsas de estudo no âmbito do Programa.

 

Outro destaque do ano foi a continuidade do Programa Movimentação, que recebeu novas turmas de colaboradores, envolvendo analistas e profissionais com cargos especializados. Durante seis meses, os 17 participantes tiveram encontros semanais com professores da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e gestores da Companhia para atualizar conhecimentos relativos ao mercado de atuação da Portonave.

Além dos treinamentos, a Portonave possui uma série de outros programas de desenvolvimento voltados a seus colaboradores, com foco na integração dos profissionais contratados, na formação de bancos de talentos para preenchimento interno de vagas e no desenvolvimento gerencial. 

Oportunidades para jovens

Aos jovens, a Companhia busca proporcionar vivência no mercado de trabalho por meio de oportunidades de estágio, para estudantes dos ensinos superior e técnico, e do Programa Jovem Aprendiz, que em 2016 teve sua sétima turma formada. Implantado em 2008, o programa se destina a estudantes do Ensino Médio de escolas públicas de Navegantes, que tenham entre 16 e 18 anos e apresentem renda familiar per capita inferior a um salário mínimo.

Os adolescentes permanecem por até dois anos na Companhia e atuam em diferentes áreas do Terminal, sempre supervisionados por colaboradores efetivos. 

 

Além do salário, eles recebem os mesmos benefícios oferecidos aos demais integrantes do quadro funcional. Desde 2008, 128 jovens passaram pelo programa, sendo que 54 foram efetivados ao final do período de aprendizagem.

Em 2016, além dos 21 estudantes que atuaram nas instalações da Companhia, outros 31 participaram do Programa desenvolvendo as atividades de aprendizagem prática no Senai por meio de um curso de aprendizagem industrial (Eletricista de Manutenção). Ao concluírem o curso, esses participantes passam a compor o banco de talentos da Portonave, participando de processos seletivos para vagas em sua área de formação.

Avaliação sistêmica

O desenvolvimento contínuo dos colaboradores da Portonave exige a avaliação periódica de seu desempenho, a fim de identificar oportunidades de aperfeiçoamento profissional. Em 2016, 73,4% do quadro funcional teve seu desempenho avaliado pelos gestores imediatos, em um processo que inclui feedback estruturado. Integram esse grupo 45 profissionais que ocupam posições de liderança, os quais receberam o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI). Baseado no resultado do feedback, o PDI é construído em conjunto por cada gestor e líder avaliado, a fim de alinhar a expectativa da Companhia e o desempenho profissional.
[GRI G4-LA11]