Gestão Ambiental

Efluentes

A qualidade das águas subterrâneas na área do Terminal é monitorada trimestralmente pela Portonave, enquanto a qualidade da água do Rio Itajaí-Açu é verificada com frequência mensal. Esses procedimentos visam a assegurar que no caso de eventuais contaminações do lençol freático ou do estuário, por produtos químicos ou derivados de petróleo utilizados nas suas atividades, possam ser empregados os recursos adequados na mitigação dos impactos.

Mensalmente, a Portonave realiza análises laboratoriais no ponto de lançamento de água superficial, de modo a manter os padrões de qualidade exigidos pela legislação.

Ações preventivas

A água superficial, descartada diretamente no estuário, é recolhida por meio de um canal de drenagem de aproximadamente 200 metros, para onde converge um sistema de captura de água da chuva com cerca de 5 mil metros de comprimento. O canal é impermeabilizado e possui uma comporta que impede o contato da água armazenada com o rio. Isso evita que, no caso de um vazamento de produtos poluentes no pátio, a água contaminada desague no rio.

O Terminal mantém uma base de defesa formada por técnicos preparados para agir preventivamente nos processos da Companhia ou rapidamente em situações emergenciais relacionadas a eventuais acidentes ambientais.

 

 

Pequenos vazamentos de óleo de veículos e equipamentos, em especial de terceiros, além de avarias em contêineres que transportam cargas perigosas, são as ocorrências mais comuns, registrados em relatórios técnicos. Em 2016, não houve registros de eventos relevantes dessa natureza.
[GRI G4-EN24]

A Portonave também analisa mensalmente a água potável destinada ao consumo humano, conforme determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para isso, a equipe de gestão ambiental atesta diariamente os níveis de cloro na água.

 

Tratamento

A Estação de Tratamento de Esgoto da Companhia teve sua operação interrompida em 2016, para ajustar seu funcionamento após as obras de ampliação. Assim, foram encaminhados para tratamento externo 755,24 m3 de efluentes, que incluem águas residuais de processos operacionais do Terminal, como a lavação de equipamentos. A coleta e a disposição desses efluentes foram realizadas por empresa contratada, devidamente certificada para essas atividades.
[GRI G4-EN22]