Gestão Ambiental

Energia

O consumo de energia direta, representado pela soma da energia elétrica e dos combustíveis utilizados, totalizou 190,26 mil gigajoules (GJ) em 2016, frente a 250,04 mil GJ no ano anterior – uma redução de 23,9%. O consumo de energia elétrica foi de 131,95 mil GJ, enquanto o de combustíveis fósseis totalizou 58,31 mil GJ.
[GRI G4-EN3]

A redução no consumo de combustíveis fósseis, principalmente diesel, se deve à conclusão do projeto de eletrificação dos transtêineres – guindastes que fazem o movimento do contêiner do caminhão para o pátio de armazenagem e vice-versa (mais detalhes abaixo). 

O Terminal alcançou um índice de intensidade energética de 0,21 GJ/TEU, frente a 0,36 GJ/TEU em 2015 – uma redução de 41%, ocasionada pela mudança da fonte de abastecimento dos transtêineres. Esse índice considera o consumo total de energia e o volume de TEUs movimentados no ano.  
[GRI G4-EN5]

 

 

Eletrificação de RTGs

Em abril de 2016, a Portonave concluiu o projeto de eletrificação dos RTGs, guindastes que realizam o movimento do contêiner do caminhão para o pátio de armazenagem e vice-versa. Com a implantação do sistema Busbar System [barramento de transporte de energia], os 18 equipamentos do Terminal passaram a ser alimentados com energia elétrica e não mais por geradores a diesel.

Entre os fatores que motivaram a mudança da matriz energética estão a redução do consumo de diesel, o aumento de produtividade nos RTGs, a melhoria na confiabilidade dos equipamentos e a significativa redução de emissões de gases poluentes.

Com a finalização do projeto, o consumo de diesel do Terminal foi reduzido em cerca de 60%. Assim, as emissões de CO2 pelos transtêineres foram reduzidas em 98% e as emissões totais do Terminal em 56%.
[GRI G4-EN6]