Gestão Ambiental

Resíduos

Todas as instalações da Portonave são abrangidas pelo sistema de coleta seletiva. A coleta se dá por meio de contentores específicos para a separação dos resíduos por parte dos colaboradores e posterior destinação correta. Os materiais são, em geral, recolhidos diariamente e mantidos em Centrais de Armazenamento Temporário no Terminal.  

Depois, são coletados por empresas terceirizadas especializadas no descarte em cada tipo de resíduo e que possuem as devidas autorizações, cumprindo os requisitos legais relativos às suas atividades.

Em 2016, o Terminal gerou 7.585,56 toneladas de resíduos não perigosos e 838,05 toneladas de resíduos perigosos, totalizando 8.423,61 toneladas, uma redução de 11,3% em relação a 2015.
[GRI G4-EN23]

Destinação adequada

O manejo dos resíduos segue as determinações da Lei no 12.305/10, que estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos. A política preconiza a não geração, a redução, a reutilização, a reciclagem e o tratamento dos resíduos sólidos, além da disposição final ambientalmente adequada. Materiais que eventualmente não possam ser recuperados são encaminhados para tratamento em aterros sanitários. A produção e a destinação dos resíduos da Portonave são registradas e reportadas periodicamente à Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma).